Avaliação da saúde bucal de estudantes e sua associação com alimentação e dados antropométricos

  • Luísa de Toledo Ghelfi
  • Ligiana Pires Corona
  • Gabriela Oyamada dos Santos
  • Ricardo Filipe Alves Costa
  • Daniele Natália Pacharone Bertolini Bidinotto
  • Celina Antonio Prata
  • Lucas Tadeu Bidinotto FACISB https://orcid.org/0000-0002-6909-8347
Palavras-chave: Alimentação infantil, Antropometria, Odontopediatria, Saúde Bucal

Resumo

Introdução: Estima-se que aproximadamente 3 milhões de crianças estejam em sobrepeso, sendo 95% decorrente de má alimentação, o que também pode influenciar na saúde bucal. Objetivo: Associar IMC, consumo alimentar e saúde bucal em escolares. Método: Dados de IMC de crianças entre 5 e 10 anos foram coletados, e a saúde bucal foi avaliada pelo índice CEO-D (dentes decíduos cariados, esfoliados ou obturados). Foi realizado recordatório alimentar de 24h. Energia, proteínas, lipídeos, carboidratos, fibras, cálcio, fósforo, ferro, potássio, vitaminas D e C e açúcar foi relacionada com o IMC e o índice CEO-D. Resultados: De 72 crianças,73,6% estavam eutróficas e 26,4% em sobrepeso/obesidade. 61,1% possuíam CEO-D1. Das crianças em sobrepeso/obesidade, 78,9% apresentaram CEO-D1 vs. 54,7% das eutróficas (P=0,06). As crianças com CEO-D1 apresentaram menor consumo de proteínas, fibras, cálcio, fósforo, energia, ferro, potássio e vitamina C (P<0,05). Conclusão: As crianças em sobrepeso/obesidade apresentaram alimentação mais pobre em nutrientes relacionados à mineralização e produção de colágeno, que podem alterar a composição dos dentes, podendo facilitar a incidência de cáries. Além disso, estas podem apresentar problemas na mastigação e priorizarem o consumo de alimentos de mastigação facilitada, evitando o consumo de proteínas e fibras, urgindo políticas que visam à qualidade da alimentação.

Referências

1. Oliveira CLd, Fisberg M. Obesidade na infância e adolescência: uma verdadeira epidemia. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. 2003;47(2):107-8.
2. IBGE. Pesquisa de Orçamento Familiares – POF 2002-2003 2003 [Available from: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicao/pof/imc.
3. Taddei JAdA, Colugnati FA, Rodrigues EM, Sigulem DM, Lopez FA. Desvios nutricionais em menores de cinco anos. Desvios nutricionais em menores de cinco anos: Unifesp; 2002.
4. Burrows R, Gattas V, Leiva L, Barrera G, Burgueño M. Características biológicas, familiares y metabólicas de la obesidad infantil y juvenil. Revista médica de Chile. 2001;129(10):1155-62.
5. Jaime PC, Frias PGd, Monteiro HOdC, Almeida PVB, Malta DC. Healthcare and unhealthy eating among children aged under two years: data from the National Health Survey, Brazil, 2013. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. 2016;16(2):149-57.
6. de Araújo MFM, Beserra EP, de Araújo TM, Chaves ES. Obesidade infantil: uma reflexão sobre dinâmica familiar numa visão etnográfica. Northeast Network Nursing Journal. 2016;7(1).
7. DA COSTA ACN. Fonoaudiologia e dieta alimentar na dentição decídua. 1998.
8. Silva RdCR, Silva LAd, Araújo RPCd, Soares FF, Fiaccone RL, Cangussu MCT. Standard obesogenic diet: the impact on oral health in children and teenagers at the Recôncavo Baiano - Brazil. Cadernos Saúde Coletiva. 2015;23:198-205.
9. Maltz MT, Livia Maria Andaló. Groisman, Sonia. Cury, Jaime A. Cariologia: Conceitos Básicos, Diagnóstico e Tratamento Não Restaurador: Artes Médicas; 2016 2016. 144 p.
10. Teixeira MK, Antunes LAA, de Abreu FV, Gomes CC, dos Santos Antunes L. Primeiro molar permanente: estudo da prevalência de cárie em crianças. IJD International Journal of Dentistry. 2011;10(4):223-7.
11. Frazão P. Irrompimento do primeiro molar permanente em crianças de 5 e 6 anos de idade: implicações da análise longitudinal para prevenção da cárie oclusal. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2011;14(2):338-46.
12. Botelho K, Carvalho L, Maciel R, Franca Cd, Colares V. Condição clínica dos primeiros molares permanentes: de crianças entre 6 e 8 anos de idade. Odontologia Clínico-Científica (Online). 2011;10:167-71.
13. Cypriano S, de Sousa Mda L, Wada RS. [Evaluation of simplified DMFT indices in epidemiological surveys of dental caries]. Rev Saude Publica. 2005;39(2):285-92.
14. Monego E, do Rosário Peixoto M, Santiago R, de Fátima Gil M, de Morais Cordeiro M, Campos MI, et al. Alimentos brasileiros e suas porções: um guia para avaliação do consumo alimentar: Editora Rubio; 2013.
15. Feldens CA, Kramer PF, de Abreu ME, Rosso ED, Ferreira SH, Feldens EG. Associação entre experiência de cárie em molares decíduos e primeiros molares permanentes. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada. 2005;5(2):157-63.
16. Tomita NE, Nadanovsky P, Vieira ALF, Lopes ES. Preferências por alimentos doces e cárie dentária em pré-escolares. Revista de Saúde Pública. 1999;33:542-6.
17. Foschini ALR, Campos JADB. Associação da cárie dentária com indicadores antropométricos do estado nutricional em pré-escolares. Alimentos e Nutrição. 2012:597-602.
18. Auad SM, Pordeus IA. Nutrição e sua influência nos processos de odontogênese, erupção e desenvolvimento da cárie dentária. Rev CROMG (Impr). 1999:151-5.
19. Muniz NFD, de Sousa Santos K, Cabral TF, de Oliveira CL, de Freitas Lima R. INFLUÊNCIA DA DIETA SOBRE AS ESTRUTURAS DENTÁRIAS: REVISÃO DA LITERATURA.
20. Katchburian E, Arana Chavez VE. Histologia e embriologia oral: texto, atlas, correlações clínicas. 2012.
21. Alvarez JO, Navia JM. Nutritional status, tooth eruption, and dental caries: a review. The American journal of clinical nutrition. 1989;49(3):417-26.
22. Lunardelli S, Peres M. Defeitos de desenvolvimento de esmalte não-fluoróticos na dentição decídua. Antunes JLF, Peres MA Epidemiologia da saúde bucal Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2006:165-79.
23. Masumo R, Bårdsen A, Åstrøm AN. Developmental defects of enamel in primary teeth and association with early life course events: a study of 6–36 month old children in Manyara, Tanzania. BMC oral health. 2013;13(1):21.
24. Alvarez JO, Navia JM. Nutritional status, tooth eruption, and dental caries: a review. Am J Clin Nutr. 1989;49(3):417-26.
25. Masumo R, Bardsen A, Astrom AN. Developmental defects of enamel in primary teeth and association with early life course events: a study of 6-36 month old children in Manyara, Tanzania. BMC Oral Health. 2013;13:21.
Publicado
2021-12-30
Seção
Ciências da Saúde

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##